segunda-feira, 18 de abril de 2011

Proposta de discussão HTPC.

Sugestão de Pauta para HTPC :


1º Encontro

- Leitura Compartilhada: “ABC” de Luís Fernando Veríssimo;

- Formação dos grupos para análise do Caso de Ensino;

Caso de Ensino

É mais um dia de aula na turma do 1º Ano da professora Tina, o final do bimestre está se aproximando e a professora está bastante preocupada, pois a partir da avaliação diagnóstica realizada pela coordenação da escola seus alunos apresentaram poucos avanços nas hipóteses da escrita. Atualmente sua turma é composta de 25 alunos, 3 deles estão alfabéticos, já vieram assim da Educação Infantil, 17 estão pré-silábicos e se utilizam de letras para escrever, 5 estão silábicos com valor sonoro em vogais.

As crianças chegam à sala e sentam-se em suas carteiras individuais, a professora acredita que neste estágio as crianças precisam exercitar sua autonomia e deixar as crianças sentarem-se sozinhas é uma ótima forma delas se acostumarem com a organização e cuidados com seus materiais.

A professora verificou que a maioria dos alunos já reconhece o próprio nome e então partiu para outras atividades, diferentes das sugeridas no planejamento escolar, que contemplavam a exploração dos nomes e o trabalho com crachás. Agora, ela tem investido no trabalho com recorte e colagem de palavras de jornais e revistas, acredita que esta é uma ótima atividade para que as crianças reconheçam o valor sonoro das letras.

No planejamento e reuniões com a coordenação pedagógica, foram sugeridos também o trabalho com a produção textual, no entanto, na turma da professora Tina, a maioria dos alunos ainda está no nível pré-silábico, não há porque trabalhar com essa atividade neste momento, uma vez que poucos alunos acompanharão a atividade. A professora optou então em deixar essas atividades para um momento em que as crianças estivessem em um nível mais avançado na escrita.

A professora inicia a aula colocando na lousa a letra F, em sua forma maiúscula e minúscula, e então distribui materiais de recorte, como jornais e revistas para que as crianças localizem palavras que iniciem com essa consoante. Apenas alguns alunos conseguem localizar, a professora verifica a palavra, recorta e cola em um cartaz que está pregado na sala com outras palavras que se iniciam com outras letras já trabalhadas. Enquanto isso os alunos observam.

Em seguida, distribui a poesia Foca, de Vinicius de Moraes, lê e pede às crianças para circular as vogais presentes na poesia. Muitos alunos, mesmo os que não sabem ler, parecem conhecer o texto de memória, repetem os versos sozinhos, se levantam e começam a mostrar para a professora a atividade e como ela está sendo desenvolvida. A professora fica irritada com tantos alunos em pé. Alguns param nas carteiras dos amigos para conferir quais letras já estavam circuladas, mais uma vez a professora fica irritada e diz que “cada um deve fazer o seu sozinho”.

Após o término da atividade, a professora distribui uma folha de atividade mimeografada para os alunos, trata-se de um coelhinho que deve chegar até a cenoura dando pulinhos, os pulos estão orientados por um tracejado e no meio da folha há um espaço para que as crianças façam os pulos sem a orientação do tracejado. A professora acredita que muitos alunos necessitam exercitar a coordenação motora neste estágio da alfabetização.

Após o intervalo, a professora seleciona um material para a leitura, trata-se de um pequeno texto informativo sobre a duração de vida dos insetos. Poucos alunos parecem prestar atenção, alguns ainda se recompõem do intervalo, abanando-se. Os textos selecionados pela professora são cada vez menores, pois acredita que crianças pequenas possuem pouca concentração. Ela fica bastante preocupada com os momentos de leitura que realiza, sabe que esse momento é importante, pois sempre ouve seus colegas de trabalho e a coordenação ressaltarem a importância da leitura realizada pelo professor, mas acredita, no fundo, que isso deva funcionar nas salas de aula com alunos maiores.

A professora termina a aula, pedindo às crianças para treinar os numerais até 06. Enquanto as crianças realizam a atividade, a professora cola em seu caderno piloto as atividades realizadas pelas crianças durante o dia e fica se perguntando: Por que seus alunos não estão avançando? O que poderia fazer a mais do que já vem fazendo? As crianças têm chegado, realmente, ao ensino fundamental, imaturas e dependentes?

- Reflita com seu grupo os seguintes temas presentes no caso de ensino apresentado e quais intervenções podem ser realizadas nesta sala de aula para que os alunos avancem:


• Organização da sala;

• Propostas de atividades;

• Recursos necessários (físicos e humanos);

• Objetivo da produção textual na turma;

• Atividades com a escrita do nome.



Pauta de HTPC

2º Encontro

- Continuidade da reflexão em torno do Caso de Ensino apresentado no encontro anterior:

• No caso de ensino é realizada uma atividade pontual de coordenação motora, essa atividade foi significativa? Como poderia ter sido desenvolvida, inclusive em outras áreas do conhecimento?

• Como o grupo analisa a atividade de leitura realizada pela professora?

• Avaliem também como foi utilizado o texto de memória;

• A partir dos questionamentos realizados pela professora, sugiram atividades para que as crianças avancem em suas hipóteses de escrita.

- Socialização da análise feita pelos grupos.




- A partir da leitura de trechos do livro de Paulo Freire (A importância do ato de ler, 9ª edição. São Paulo, Autores Associados, 1985, p. 12-17) registre as marcas significativas, as primeiras recordações do seu convívio com a leitura e escrita.

Elaboração: Karina, Lais, Rosângela e Stella - Formação Ler e Escrever.

Nenhum comentário:

Postar um comentário